AMOR, PERDÃO E RESPEITO

Três sentimentos básicos para a transformação

 

 

Pelo fortalecimento da capacidade de aceitar e de perdoar a nós mesmos e a não rejeitar, julgar ou fazer comparações com os outros, também fortaleceremos a capacidade de amar os outros.

Amor é um sentimento sublime que todos os seres vivos desse planeta podem e devem exercer. Amor é energia de união através de um sentimento muito agradável. É uma sensação maravilhosa que faz bem ao coração. O amor deve ser exercido em todos os momentos de sua vida, pois quando em estado de amor, seu coração pulsa e pulsa energia de paz e harmonia. Aprenda a amar a vida, seus semelhantes, a natureza, as flores, as árvores, os reinos vegetal, mineral e animal. O planeta precisa de seu amor incondicional para que tudo e todos de libertem.

 

O Perdão também deverá ser exercido em sua vida para que você possa alcançar o amor, pela Ação Compassiva. Quando nos relacionamos com um ser humano ou qualquer ser vivo estamos fazendo uma troca de energia. Todos os sentimentos, pensamentos, palavras ou ações emitem um tipo determinado de energia. Essa energia se impregna em você e no ser com o qual você está se relacionado. O ser humano é único ser vivo deste planeta que possui discernimento e livre arbítrio. Quando se relacionam entre si, os homens possuem a chance de se desculparem por emitirem energias densas e raivosas uns aos outros, conseguindo assim transformar mágoas e sofrimentos em amor e liberdade, exercendo a lei do perdão.

Quando o ser humano se relaciona com os reinos animal, vegetal e mineral, ele está se relacionando com os seres vivos que sentem e vivem mas que não possuem o mesmo discernimento e livre arbítrio. Estes seres vivem o poder da assimilação. Emitem ou emanam energias com total igualdade e intensidade às energias que recebem. A partir do momento que o homem passou a maltratá-los e a desrespeitá-los, estes seres se impregnaram de energias densas e estagnadas. Essas energias por sua vez se impregnaram no interior da terra em forma de gazes subterrâneos que de tempos em tempos se libertam, exatamente da mesma forma como foram emitidos: em “energias densas e negativas”, ou seja, inundações, queimadas, explosões, furacões e todas as formas de catástrofes e agressividades existentes.

Exerça o Amor, a Ação Compassiva e o Respeito. Dê o exemplo a todos os seres vivos. Respeite tudo o que for vivo neste planeta. Saiba trata-los com amor, ouvi-los com amor.Saiba respeitar todo e qualquer pensamento humano. Nunca imponha os seus pensamentos a outro ser, deixe que seus pensamentos fluam de forma carinhosa e delicada. Não seja o dono da verdade. A verdade pertence a Deus Pai e Mãe. Seja flexível, procure saber e aprender a essência da verdade e a transmita de forma adequada, para crescer no sei nível de desenvolvimento espiritual. Este é o verdadeiro respeito. Seja paciente, humilde, compreensivo e prudente, com tudo e todos pois só assim alcançará vários corações.

Não adianta falar sobre o que existe acima dos céus para aqueles que nem conseguem enxergar as estrelas. Saiba perdoar pensamentos e ações negativas pois só são emitidos por ignorância. O negativo, o denso e a sombra sempre existirão, pois fazem parte da constituição energética. Aprenda a transmutá-los sempre e sempre para o positivo, a saúde e a luz. A beleza real da natureza intocada, que não foi agredida é constituída de energias negativas e positivas mas se manifesta com a beleza que toca todos os corações emitindo assim energias harmonizadas e unificadoras.

Sem exercer o Amor, o Perdão e o Respeito, os homens se transformam em perfeitos robôs, de palavras e ações automáticas, sem tempo para refletir o seu interior. Seja feita a vontade de seu coração! Seja feita a vontade de Deus Pai e Mãe porque você é filho de Deus.

 

Os mecanismos de autocura de um ser humano harmonizado holisticamente

 

Todos nós temos mecanismos de autocura muito poderosos, os quais corrigem os desequilíbrios assim que eles se manifestam, a não ser em situações de “enfermidades”. Quando você se corta, os mecanismos auto-reparadores do organismo reagem de imediato. Se você pegar uma infecção viral, os glóbulos brancos de seu sistema imunológico trabalharão para combatê-la. O corpo está em continua busca de homeostase ou equilíbrio geral, e apenas adoecemos quando esse equilíbrio sofre perturbações de maiores proporções. Quando se aprende a equilibrar a energia vital, promove-se ao mesmo tempo uma probabilidade maior de evitar antes de mais nada, os desequilíbrios.

O processo de autocura se dá num nível acima da consciência normal. Você não precisa ordenar a seus glóbulos brancos que ataquem os corpos estranhos, pois eles o fazem automaticamente. Dito de outra maneira, seu corpo sabe corrigir a maioria dos desequilíbrios que podem afetá-lo, caso se encontre em circunstâncias adequadas. Quando se trata de ajudar terceiros, somos um canal de projeção das ressonâncias ou energias corretas para permitir-lhes que restaurem por si mesmos seu equilíbrio. Na prática, não se “cura” ninguém; tudo que fazemos é ajudar os outros a curar-se a si mesmos. Lembre-se de que toda forma de cura deve ser feita como uma oferta, como dar água a quem tem sede. Não se deve obrigar ninguém a beber ou querer fazê-lo. Cada um tem seu caminho a seguir; para alguns esse caminho passa pela doença e pelo sofrimento. Essas pessoas irão, por conseguinte, rejeitar os aspectos da cura que objetivarem remover seus sintomas.

 

Como atua a Força Vital – O Ki

 

É muito importante o nosso entendimento de como atua o Ki no ser humano holístico. Isso é particularmente importante na compreensão das causas das doenças e das medidas a adotar para se manter o equilíbrio interior.

O nível mais denso do seu campo energético é seu próprio corpo. A ciência afirma que o corpo físico é composto de átomos e moléculas unidos numa forma ou matriz particular que você pode reconhecer como sendo sua. Assim, você é predominantemente espaço, com cada um dos átomos que o constituem funcionando como um foco de energia. Todos temos consciência do nosso eu físico, principalmente quando há desequilíbrios ou enfermidades, mas devemos também estar cientes que eles nos propicia experiências muito ricas e prazerosas. O corpo físico representa uma extremidade do espectro de energia que possuímos, ao passo que a outra extremidade é aquela parte de nós que geralmente se conhece como alma, eu espiritual ou eu superior. Também se pode chamá-la de “essência nuclear”, “centelha divina” ou qualquer outra coisa que represente a energia interior motivadora da vida. Pode-se dize que dentro da alma é que residem a sabedoria interior e a consciência superior – ou seja, a parte que nos proporciona a compreensão maior, a orientação e a  iluminação, quando a ela temos acesso.

É possível medir as freqüências de energia do corpo físico com instrumentos, mas não podemos medir diretamente o Ki do eu espiritual porque ele vibra num plano muito mais sutil. Todavia, podemos compreender os princípios que unem essas duas partes através de algumas analogias simples.

 

A Sinfonia do Eu

 

Poderíamos nos comparar a um piano, com as notas baixas representando o corpo e as altas, o eu espiritual. A música ocidental baseia-se numa escala de notas chamadas, oitavas. Essas notas formam um grupo de ressonância ao qual correspondem oitavas em timbres mais altos e mais baixos. Digamos que o corpo físico seja a oitava mais baixa e o espírito, a oitava mais alta. Na teoria da prática musical, quando se toca uma nota, as demais notas harmônicas também ressoam, assim a energia é transmitida através de todas as oitavas do piano.

Em nosso caso, só há transmissão do Ki através das diferentes partes do nosso ser se houver harmonia. Sem ela ocorre necessariamente um colapso no fluxo do Ki. Isso quer dizer que o corpo precisa estar em harmonia com as emoções, que precisam estar em harmonia com a mente, que precisa estar em harmonia com o eu espiritual para que o Ki flua através de todo o sistema.

A energia se transmite entre os dois pólos, o eu físico e o espiritual exatamente da mesma forma, e assim se passa também com os demais aspectos do seu ser. Quando você pensa alguma coisa ou sente uma emoção, cria-se uma energia ressonante que se transfere através de todas as oitavas. É por isso que uma emoção muito forte pode dar uma sensação de dor ou prazer. Lembre-se da última vez que sentiu uma emoção forte. Seu corpo pode ter reagido com lágrimas ou ter lhe dado a sensação de estar com um nó na garganta. Portanto, os padrões negativos de pensamento podem provocar desequilíbrios correspondentes no plano físico.

Inversamente, também é possível que a mente e as emoções sejam afetadas pela ingestão de alimentos, drogas e outras substâncias. É como se, a todo o momento, houvesse uma sinfonia tocando nas partes que compõem seu ser. O importante é deixar que todas as suas notas soem em harmonia e acima de tudo, que toquem a música que realmente é você.

Supúnhamos que o seu eu espiritual almeje dar expressão a algum dote de sua essência, como a pintura, a dança, etc.. Entretanto, devido às pressões do dia a dia, você fica rejeitando a idéia de dar ouvidos a essa voz interior. A partir daí cria-se também uma tensão entre esses dois aspectos do eu e a desarmonia resultante poderá resultar no futuro, em uma doença que afete o físico. Um dos resultados importantes no rumo da saúde e da realização interior é a descoberta dos próprios bloqueios.

David Furlong – The Complete Healer

 

“Todos nós dispomos do potencial para cultivar e usar nossas propriedades de cura e criatividade se estivermos abertos às possibilidades do que pode se atingido. Jesus disse: “Procura e encontrarás”. Também é verdade se dissermos: “Encontramos o que procuramos”. Assim, é preciso estarmos abertos e flexíveis, pois é bem fácil entrarmos em becos sem saída por causa de convicções muito fortes, idéias fixas ou crenças distorcidas”.

Rua Souza naves 1174 - Londrina - PR

Tel: (43) 9131-3164